30 de abril de 2009

2800 gírias

Parecem poucas, mas esta noite atualizei o Dicionário Popular e o mesmo chegou ao total de 2800 palavras. Entre elas, estão:
EM MAUS LENÇÓIS = algo não agradável aconteceu ou vai acontecer, estar sem saída.
QUIPROQUÓ = do latim, significa: “quid pro quo”, uma coisa pela outra; toma lá, dá cá.
GAMADA(O) = apaixonada(o), desejosa(o).
CUCURUCO = alto ou pico da cabeça.
MANJAR = olhar, observar.
PATAVÁ = torrar a paciência, encher o saco.
SUPAPO = pancada, socos rápidos, chega pra lá.
CHEGA PRA LÁ = sai, afasta-se, dá um tempo.
BALEIA = pessoa gorda, acima do peso.
BATATA = exato, certo, fácil.
BOTAR LENHA NA FOGUEIRA = provocar, atiçar ou instigar briga.
BARBEIRO = ruim de volante, mal motorista.
BOTAR BANCA = se achar o tal, ser o maior, o bom.

Captação de recursos em tempo de crise

Em tempo de crises não é fácil o terceiro setor captar recursos. Interessante são os eventos planejados para discutir o impacto da crise e até ensinar o terceiro setor a captar recursos em tempo de crise. O Seminário pode não resultar em captação de recursos por parte dos participantes, mas possivelmente os organizadores e os palestrantes captarão recursos de quem participar, sobretudo porque as palestras não passarão de 6 (seis) horas, em 2 (dois) sábados e o custo mínimo por participante é de R$ 200,00, podendo chegar a R$ 250,00 e muitas OCIPs e movimentos devem se inscrever.

Ministros do STF e IDP

Em Brasília existe o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) e consta no portal do Instituto que os fundadores foram os doutores: ministro Gilmar Mendes, Inocêncio Coelho e Paulo Branco. A dúvida é se o ministro Gilmar Mendes é também proprietário do Instituto. Sendo um dos proprietários, penso que também seja patrão. Assim, fica uma dúvida ética e moral minha e do povo brasileiro em relação ao Supremo: É ético 07 (sete) ministros do Supremo exercerem duas funções, uma pública e outra privada, como consta na lista dos docentes do IDP? Interessante é que o Supremo Tribunal Federal (STF) é composto de 11 (onze) ministros e destes, sete deles lecionam no IDP. Minha dúvida e pergunta: em sendo o ministro um dos proprietários, em tese ele seria patrão de seis dos ministros do Supremo, no IDP. E em sendo, não é de se colocar em dúvida muitos dos julgamentos do Supremo? Os ministros docentes no IDP votariam ou ficariam contra o patrão colega no Supremo? Como ficam os julgamentos, os conchavos, a ética ou a falta dela? Que confusão. A relação abaixo é dos ministros do STF e a comparação foi realizada a partir dos nomes registrados nos portais do IDP e STF:
  1. Gilmar Mendes - docente do IDP;
  2. Cezar Peluso - docente do IDP;
  3. Celso de Mello - NÃO;
  4. Marco Aurélio - docente do IDP;
  5. Ellen Gracie - NÃO;
  6. Carlos Britto - docente do IDP;
  7. Joaquim Barbosa - NÃO;
  8. Eros Grau - docente do IDP;
  9. Ricardo Lewandowski - NÃO;
  10. Cármen Lúcia - docente do IDP;
  11. Menezes Direito - docente do IDP.

20ª Romaria do Trabalhador de Maringá

Amanhã, 1º de maio, a Arquidiocese de Maringá realizará a 20ª Romaria do Trabalhador. Neste ano a Romaria será em Paiçandu, a partir das 13 horas. Iniciará no Centro de Eventos daquele município e os romeiros seguirão em passeata até a Escola Milton Santos, onde será celebrada missa.
Para os que têm memória curta, a Romaria do Trabalhador, em 2008, foi realizada no Conjunto Santa Felicidade, momento em que foram questionados os interesses obscuros do prefeito de Maringá de se acabar com aquele Conjunto, construindo casas pelo PAC em lugares distantes para abrigar as famílias. As construções das casas e o próprio "PAC Santa Felicidade" continua sendo um mistério social e político, menos econômico.
Lembramos que as romarias começaram na década de 1980 e, AQUI, um pouco da história.

29 de abril de 2009

Safados

Este vídeo sobre as passagens aéreas defendidas por alguns deputados federais vale assistir: http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=1&contentID=59705&channel=47

A fila na saúde em Maringá

A informação no portal do vereador Humberto Henrique de que mais de 21 mil pessoas de Maringá aguardam cirurgias na fila para a qualquer dia, de qualquer mês e ano, serem atendidas, é preocupante.
De acordo com o portal, só de cirurgias são mais de 5 mil pacientes aguardando liberação; ortopedia e oftalmologia ocupam o topo das especialidades e a informação é da secretaria Municipal de Saúde e foram atualizados até o mês de dezembro de 2008.
  • 15.956 pacientes aguardam a liberação de consultas médicas;
  • Mais de 3.500 pacientes - em cada especialidade - aguardam consultas em ortopedia e oftalmologia;
  • Mais de 800 pacientes esperam a liberação de uma cirurgia ginecológica;
  • 759 estão na fila da cirurgia de catarata;
  • Mais de 600 ainda não foram chamados para cirurgia vascular;
  • No total são 5.053 cirurgias pendentes.

No portal do vereador é possível confirir a lista de espera em cada especialidade. Faço duas perguntas ao vereador e sua equipe de assessoria que servem de sugestões para pesquisa e informação à população:

Qual a possibilidade de comparar os dados com o governo anterior, ou seja, como o governo do PT pegou a fila em 2001 e entregou em 2004?

Como o governo do PP pegou em 2004 e como se encontra em 2008?

28 de abril de 2009

Repórter da Globo negou ter sido usado como "escudo humano" do MST

Vitor Haor, repórter da TV Liberal - afiliada da TV Globo -, depôs ao delegado de Polícia de Interior do Estado do Pará e, em seu depoimento, negou que os profissionais do jornalismo tenham sido usados como "escudo humano" pelos Sem Terra, bem como desmentiu a versão - propagada pela Liberal, Globo e outras emissoras - de que teriam ficado em cárcere privado, durante conflito na fazenda Santa Bárbara, em Xinguara.

26 de abril de 2009

A festa dos 50 anos

Nós filhos tiramos o sábado e domingo para ficar com os pais em Umuarama. Mais de 100 pessoas compareceram na celebração e festa de 50 anos de casados de Pedro Alves Canuto e Elizabeth Brandão Canuto. A festa continuou neste domingo, em Cafezal do Sul, no sítio de Antônio Brandão e Maria Alda (Acompanhe a festa). Cansado da estrada com movimento pesado e uma carreta tombada na curva do "S", entre Doutor Camargo e Água Boa, agora não penso outra coisa, senão descansar.

24 de abril de 2009

Leite da Bom Gosto que não é leite

Fui surpreendido ao abrir uma caixa de leite UHT Desnatado Bom Gosto, adquirido no BIG, mas produzio, embalado e envasado pela Usina de Beneficiamento Laticínios Bom Gosto S.A, de Tapejara-RS. O susto ao abrir a embalagem e despejar no copo foi que internamente não havia leite e sim um produto que ainda não sei o que é. Parece soro, mas não sei se é. A caixa está aberta, guardada na geladeira aguardando providências da Secretaria de Saúde (Vigilância Sanitária), visto ter comunicado a Ouvidoria da Secrataria ( protocolo 194765) logo após constatar o problema - salvo engano na segunda-feira, dia 20 -, mas que até hoje nem um sinal de averiguação. Como comprei 12 caixas de uma só vez, estou cuidadoso ao abrir as novas caixas, evitando ser surpreendido novamente.

50 anos de casados

Atualizado - Amanhã, 25 de abril, meus pais (Pedro e Elizabeth) farão 50 anos de casados (25-04-1959 a 25-04-2009). Isto é que é exemplo. A experiência dos dois começou em Alagoas e continuou no Paraná, resultando em seis filhos, sendo quatro vivos. Parabéns antecipado dos filhos(as), netos(as), noras e genro.

Fim de semana

O centro de Maringá está relativamente calmo nesta tarde de sexta-feira. O mesmo não podemos falar dos veículos. São longas filas e dificuldade em encontrar lugar para estacionar. Quando se encontra, nem sempre está próximo dos lugares almejados. O pior é ficar estafado de tando procurar um lugar e após encontrar, ficar em uma sala de espera num consultório do dentista ouvindo o zunido dos aperelhos nos dentes alheios. Dá um arrepio danado... É o que estou sentindo neste momento enquanto escrevo estas linhas... Somente o odonto Edson Marassi é que poderia explicar...

Pressão total

A crise na direção do SISMMAR está sendo um prato cheio para o grupo opositor ligado à CONLUTAS que agora distribui panfleto pedindo nova eleição na entidade. Não bastam as decepções no Congresso Nacional, judiciário, Câmara municipal e prefeitura e, também a representante principal da direção do Sismmar joga por terra todo um trabalho que poderia desenvolver em favor da categoria. Uma leitura à distância me faz perceber que o pedindo de nova eleição parece não proceder. Legalmente deverá assumir o vice. A não ser que o Estatuto prescreva nova eleição, visto que eventual mudança ocorra no início da nova direção.

Suicídio

Aluna do Mestrado - Programa de Pós-Graduação em Educação da UEM - suicidou-se esta noite em Londrina. Motivo? Ainda não sei.

23 de abril de 2009

Pista exclusiva para viaturas

Presenciei hoje o desespero de uma viatura do SAMU na Avenida Colombo. Por mais que tentasse, não conseguiu avançar em busca de seu objetivo. Para piorar, o semáforo fechou e a quantidade de veículos à frente, em todas as pistas, era enorme. Uma coisa é certa, à medida que aumenta o número de veículos em Maringá (carros e motos), pior ficará para se socorrer acidentados ou doentes que solicitaram ajuda. Observei que avenidas como a Colombo demanda estudo da possibilidade de uma pista exclusiva para viaturas (ambulâncias, bombeiros, PM...). Estudo semelhante deveria ser pensado para outras avenidas centrais, visto que estudo de via única já vem sendo realizado. Na prática, são vidas de acidentados ou doentes em jogo e que não podem ficar à mercê de trânsito caótico. Na Colombo, por exemplo, a pista 2 seria uma alternativa interessante, sinalizando-a bem para que nenhum outro veículo ou moto trafeguem sobre ela.

Comentando a Nota do STF

Apenas a ministra Ellen Gracie não assinou a Nota do Supremo Tribunal Federal (STF) em favor do presidente Gilmar Mendes. A questão é: por que será que apenas a Gracie não assinou?
O que aconteceu no Supremo foi digno de aplausos. Os brasileiros – com exceção dos que detêm recursos financeiros – não têm confiado nos magistrados em todas as instâncias. Pelo que se observa nas ruas, caso os magistrados se comportassem como determina a Constituição Federal, centenas de decisões teriam resultados diferentes e os empresários, latifundiários, comerciários, banqueiros, industriais e políticos se comportariam diferente. Mas, o que vemos é que confiam no Judiciário e agem com a certeza de que não serão punidos e que as decisões, sobretudo no Supremo, serão a favor deles. Os resultados finais dos processos, na maioria contra os que denunciam falcatruas, desvios, entre outras, contribuem à perda da confiança no Judiciário.
Diante disto, o que ocorreu no Supremo é lamentável e poderia não ter ocorrido, no entanto, os próprios magistrados parecem ter provocado tal situação.
Na prática, a população tem pés e mãos atrás em relação às posições do presidente do Supremo e aplaudiram – mesmo que silenciosamente – a colocação do ministro Joaquim Barbosa. A Suprema Corte e o Poder Judiciário como um todo já vem sendo questionado pelo povo brasileiro há tempo.
O desabafo do ministro foi o desabafo do povo alertando o presidente do Supremo em relação a suas posições e comportamentos contra e em prejuízo a maioria da população. Será que à medida que os ministros “reafirmam a confiança e o respeito ao Senhor Ministro Gilmar Mendes na sua atuação institucional como Presidente do Supremo, lamentando o episódio ocorrido”, estariam não confiando no ministro Joaquim Barbosa? Qual seria o motivo da não confiança? Por ser negro? Por falar o que o povo gostaria de falar?
Finalmente, é lamentável que apenas um ministro tenha se dado conta de que o Supremo está com conceito baixo nas ruas. Pode ser também que outros ministros tenham se dado conta, mas não tenham se expressado. Será que após o embate no Supremo os magistrados de todo o Brasil percebam que não são deuses e pratiquem o direito imparcialmente?
Quero em breve – ainda em vida – confiar nos magistrados, assim como na polícia e nos políticos. Será que alcançarei?

22 de abril de 2009

Parabéns ao Ministro Joaquim Barbosa

Saiba o que a grande mídia não informa sobre Hugo Chávez

Analfabetismo: Na Venezuela, havia 1,5 milhão de analfabetos. Em 2005, a UNESCO declarou o país território livre do analfabetismo.

Pobreza extrema: Em 1998, mais de 20% da população vivia em pobreza extrema. Em 2007, o índice caiu a menos da metade: 9,4%.

O desemprego: caiu de 16,6% para 6,3%.

Salário mínimo: Em dólar, subiu de 153,1 para 285,9. Em bolívares: de 75 mil para 614,79 mil

Relação dívida-PIB: Em 1998, a dívida era de 78,1% do PIB. Em 2007, 18,5%

Relação divida externa-PIB: Caiu de 25,5% para 11,3%

Investimentos em educação: porcentagem em relação ao PIB cresceu de 3,38% para 5,43%

Investimentos em Saúde: porcentagem em relação ao PIB cresceu de 1,36% para 2,25%

Mortalidade infantil, por mil crianças nascidas vivas: caiu de 21,4 para 13,9 por mil

Crianças no pré-escolar: Aumentou de 44,4% para 60,6%

Educação média: Foi de 26,9% para 41%

Ensino Superior: Aumentou de 22,6% para 30,2% o número de matriculados

Matrícula escolar e número de escolas: De 1.921 escolas e 427,5 mil matrículas passou para 5.500 escolas e 1,1 milhão de matrículas.

Programa de alimentação escolar: de 252,2 mil para 1,81 milhão de beneficiados.

Matrículas em escolas técnicas: de 31,4 mil para 203,9 mil.

Acesso à água potável: de 80% para 92% da população.

Informações completas no ANNCOL-BRASIL

A Rede Globo e Daniel Dantas: boicote a programas em 03 de maio

Este Di@rio sugere campanha, em todo Brasil, de boicote à Rede Globo (novelas, notícias, jornais, filmes, entretenimento, esportes, comerciais...) no dia 03 de maio de 2009 (domingo). Motivo: parcialidade da Rede Globo em produzir matéria na Fazenda de Daniel Dantas em favor do fazendeiro e contra o MST, ou seja, os movimentos sociais, induzindo-nos a marginalizar o MST mais do que historicamente já vem sendo marginalizado. Que igrejas, movimentos sociais, sindicatos, associações, clubes, cooperativas, instituições de ensino público e privado e outros meios de organização social sejam incentivados a não transitarem pela Rede Globo, O Globo, G1...

Rede Globo monta matéria contra o MST

A nação brasileira e mundial que acompanha a Rede Globo viu e foi influenciada a acreditar que seus jornalistas foram emboscados. Mas se esqueceram de averiguar que as imagens seriam suficientes para desmenti-los. Os jornalistas não estavam filmando no meio do fogo cruzado, estavam atrás dos pistoleiros. Não havia absolutamente ninguém no meio do fogo cruzado (assista novamente a filmagem). Tem razão o MST em divulgar nota dizendo que foi uma montagem da Rede Globo com o fazendeiro para prejudicar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.
Outros pitacos sobre a questão: Messias Mendes, aqui, aqui e aqui, além da Nota do MST, descrevendo o que aconteceu. Diante das imagens da Rede Globo, fico as informações do Movimento. Não apresentam imagens, mas as imagens da Rede Globo são enganadoras, conflitantes com as informações das reportagens.

Protesto dos aposentados

Informa Rafael Gotardo que hoje, os aposentados da região realizarão protesto em Maringá:
O Ato irá ocorrer as 13:00 horas de hoje (quarta-feira 22) na praça Raposo Tavares em Maringá, onde aposentados de varias regiões do estado estarão reunidos para protestar contra a perda de poder de compra e pela recuperação das perdas causadas pelo fator previdenciário.

Crise afeta a Reforma Agrária

De acordo com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), é necessário realizar atividades para lembrar ao governo que a Reforma Agrária é prioridade no Brasil. Entre outras análises encontradas no site do Movimento, eis um aperitivo:
  1. Os recursos para desapropriação, aprovados no orçamento de 2009, eram de R$ 957 milhões e foram cortados 'em função da crise'. Eles foram reduzidos em 41%, baixando o orçamento para R$ 561 milhões. Segundo o Incra, com essa redução será possível assentar apenas 17 mil famílias e não mais 75 mil, meta anteriormente prevista pelo governo para o ano de 2009.
  2. Os recursos aprovados para assistência técnica das famílias assentadas, previstos para 2009, eram de R$ 224 milhões, mas foram reduzidos para R$135 milhões. Redução também de 41%.
  3. Para o Pronera, programa de educação nas áreas de Reforma Agrária, os recursos aprovados para 2009 - eram de R$ 69 milhões - foram cortados em 62%, baixando para apenas R$ 26 milhões. Além disso, o Incra não consegue garantir formas de remuneração para os professores nas áreas rurais. Vários cursos já conveniados com universidades em todo país, e alguns já iniciados, foram interrompidos por falta de recursos!

Inconfidentes da Câmara

Tenho observado que os “inconfidentes” da Câmara Municipal de Maringá precisam aguçar os sentidos para não serem surpreendidos como os “inconfidentes” mineiros, baianos e cariocas foram nos fins do século XVIII. Passaram-se os séculos, não a ganância pelo Poder, seu controle e manutenção. Mudaram-se as pessoas, não as formas de governar. Estas foram aperfeiçoadas, auxiliadas com a tecnologia e laptops.

21 de abril de 2009

Tiradentes: semelhanças e diferenças com Maringá

Brasileiro é engraçado. Comemora a desgraça do outro, a exemplo da morte de Tiradentes. É típico da sociedade capitalista, o que não seria diferente em outras sociedades. Porque digo comemorar. É que 21 de abril deveria ser dia de protesto, de planejamento estratégico para melhorarmos a situação social, política e econômica do Brasil. Foi o que fez Joaquim José da Silva Xavier com seus amigos quando foram presos, condenados e mortos. Nós fazemos diferentes, transformamos o dia em festa, corrida, churrascos, cavalgadas, balaiadas, praias...
Se perguntarmos às pessoas sobre Tiradentes, poucos sabem a fundo quem foi. Talvez digam: “não sei o suficiente”. Outros dirão: “foi um contestador” e outros: “foi subversivo”. Um ou outro diria: “foi um militante, um socialista, ativista” ou, “um lutador para mudar a situação política do Brasil”.
Tendo nascido em 12 de novembro de 1748, na Fazenda do Pombal, perto do arraial de Santa Rita do Rio Abaixo, lugar que fica entre a Vila de São José, atualmente Tiradentes e São João Del-Rei (lugares que conhecemos há 11 anos atrás e que vale a pena. Em termos históricos, é demais).
Muitos dizem que Tiradentes foi "Mártir da Independência" do Brasil. Ele não foi mártir – mártir é coisa da Igreja, da religião. Tiradentes foi perseguido político. Fez parte do grupo de pessoas que ainda hoje, ao adquirir consciência política e social passa a ser ameaçado, perseguido, boicotado. Foi o que aconteceu com ele e seus colegas. Conheceram a história sobre a Revolução Francesa e sonharam alto, pagando o preço da perseguição e esquartejamento.
Portanto, 21 de abril, é dia de pensar sobre a história dos acontecimentos e sobre o que o Estado e as forças militares praticaram e praticam contra todos que questionavam e questionam o poder, a estrutura e a conjuntura social, política e econômica do Brasil.
Hoje, 21 de abril, é um dia em que o prefeito de Maringá e os vereadores que dizem amém aos mandos do Poder Executivo pensassem sobre as perseguições e ameaças políticas sobre todos que não coadunam com suas formas de pensar e agir politicamente. Ameaçar, perseguir ou colocar um funcionário concursado à disposição de setores alheios ao qual foi concursado, não se assemelha ao que Tiradentes sofreu? É de se pensar.
Quais as semelhanças e diferenças, em Maringá, entre as perseguições a Tiradentes e as perseguições existentes nos poderes Executivo e Legislativo contra vereadores, servidores públicos e lideranças sociais e políticas que pensam e questionam o que está errado na política e conduta política dos "representantes da cidade"?

Teste de paciência

Realizar saque, depósito, retirada de extrato ou transferência, na tarde de ontem em qualquer das agências da Caixa Econômica Federal, no centro de Maringá, exigiu teste de pachorra, ou seja, paciência. Muitos caixas não estavam funcionando e a fila era enorme e desanimadora.

20 de abril de 2009

Mais um homem caiu de um prédio. Acidente ou suicídio?

A pergunta que permeava as pessoas na fila do caixa de um grande atacado no centro de Maringá, neste final de tarde, nas proximidades do Edifício Europa, ao lado do Núcleo Regional de Educação (NRE) era se o homem que caiu e morreu havia de fato caído acidentalmente ou pulado. Eis a questão: Acidente ou suicídio? O murmúrio era de que o ocorrido está mais para suicídio do que para acidente. Uma senhora nos disse na fila: "minha filha trabalha no Núcleo e telefonou em casa assustada. Disse. mãe, um homem acabou de se matar pulando aqui de um prédio ao lado. Escutamos até o barulho da queda. Aqui está a maior correria e a maior bagunça. Todo mundo quer ver. Todo mundo está assustado com o que aconteceu".

Pátria Madrasta Vil

Texto interessante de Clarice Zeitel, premiado pela UNESCO, na época da produção, era acadêmica de direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sobre a situação do Brasil.
Zeitel concorreu com outros 50 mil estudantes universitários e foi uma das vencedoras do concurso, recebendo um prêmio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) por uma redação sobre 'Como vencer a pobreza e a desigualdade'. A redação intitulada "Pátria Madrasta Vil" está num livro virtual da Biblioteca Virtual da UNESCO, a partir da página 126 e vale apena visitá-lo.

PÁTRIA MADRASTA VIL

Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência... Exagero de escassez... Contraditórios?
Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.
Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade.
O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de contradições.Há quem diga que 'dos filhos deste solo és mãe gentil.', mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe.
Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil está mais para madrasta vil. A minha mãe não 'tapa o sol com a peneira'. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.
E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome.

Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade.

Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa.

A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra... Sem nenhuma contradição!
É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!
A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar.
E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão.
Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura.

As classes média e alta - tão confortavelmente situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)... Mas estão elas preparadas para isso?
Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.

Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona?
Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo.
Sem egoísmo. Cada um por todos...
Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente... Ou como bicho?

19 de abril de 2009

A ética

Paulo Vidigal retornou pegando no pé da nova direção do SISMMAR de Maringá sobre o suposto desvio atribuido à presidente da entidade. O ponto chave a que se apegou o blogueiro foi a questão ética.

A influência do futebol

Incrível, mas enquanto os canais de TV passavam os jogos de futebol entre 16 e 18 horas deste domingo, dificilmente algum motoqueiro, ciclista ou pedestre correu risco de acidente ou morte. O que se percebeu foram ruas e avenidas com pouquíssimo movimento. O silêncio prevaleceu. Isto que é influência do futebol sobre as pessoas, em sua maioria, os homens.

17 de abril de 2009

Moradias e possíveis falcatruas em Maringá

Permeia uma questão nas famílias de Maringá que não tem casa e se inscreverão a uma das moradias que estão sendo divulgadas pelo governo federal e imprensa. Como se dará o processo de escolha das famílias? O processo será ético e transparente?
Desconfia-se – e com razão – de que políticos locais possam agir de má fé, apadrinhando eleitores e cabos eleitorais da cidade e região em prejuízo dos munícipes. O receio procede, mais ainda quando observamos os últimos acontecimentos e tramas na Câmara de Vereadores, na garantia de cargos comissionados.
Acrescentemos às desconfianças as pressões políticas e possíveis promessas de moradia que vereadores eleitos possam ter feito a eleitores, conquistando os votos por promessas que agora devem batalhar para garantir.
Acredito que as futuras moradias precisam ser fiscalizadas não pelos vereadores que na sua maioria tem legislado em causa própria e de grupos – a não ser o grupo dos cinco: Marly Martin, Humberto Henrique, Manoel Sobrinho e Mário Verri –, mas pelo Ministério Público e, talvez, com os pitacos do Observatório e do SER.
Na prática, poucas são as alternativas e credibilidade sobre as construções. Muitas falcatruas podem acontecer e milhares de famílias maringaenses podem continuar na espera de moradia, enquanto famílias chegadas de políticos locais sejam beneficiadas duvidosamente.
Que os maringaenses não se espantem se parentes de políticos do legislativo e executivo também sejam agraciados com moradias do governo federal. Caso ocorra, poderá ser puro acaso do destino ou sorte deles (parentes) e dos políticos.
Por fim, lembremos que em Maringá tudo acontece e pode acontecer e é importante nos prepararmos às desconfianças, dúvidas e questionamentos.

Mãe inteligente

Este diálogo encaminhado pela Natália Costa é um barato. Leia e sorria:

"Caminhava com a minha filha de 4 anos, quando ela apanhou qualquer coisa do chão e ia pôr na boca. Ralhei com ela e disse-lhe para nunca fazer isso.
- Mas porquê? - perguntou ela.
Respondi que se estava no chão estava sujo e cheio de micróbios.
Nesse momento, a minha filha olhou-me com admiração e perguntou:
- Mamãe, como você sabe tudo isso? Você é tão inteligente!
Rapidamente refleti, e respondi-lhe:
- Todas as mamães sabem estas coisas. Quando alguém quer ser mamãe, tem que fazer um teste e tem que saber todas estas coisas, senão, não pode ser mamãe.
Caminhamos em silêncio cerca de 2, 3 minutos. Vi que ela pensava ainda sobre o assunto, e de repente disse:
- Ah, já entendi. Se não passasse no teste, você era o papai!
- Exatamente - respondi com um enorme sorriso...”

16 de abril de 2009

Novo dicionário

Disponibilizei esta tarde mais um blog, ou seja, mais um dicionário. Agora de terminologias, intitulado "DNA DAS PALAVRAS" e objetiva facilitar os acadêmicos no desenvolvimento do conhecimento. É resultado de questões/perguntas em sala de aula e espero que façam bom uso, não só os acadêmicos, como também todos que quiserem se utilizar do mesmo. Lembramos que o Dicionário estará sendo organizado ao longo do futuro e sem pressa.

Grama pisoteada

As gramas dos cruzamentos da Avenida Colombo com avenidas Pedro Taques, Morangueira, Paraná e Mandacaru, em Maringá, assim como a do cruzamento com a Avenida Londrina, em Sarandi, morreram de tanto serem pisoteadas por artistas autônomos, vendedores ambulantes, distribuidores de panfletos e pedintes. Nos locais, o que se vê é a terra roxa e as pessoas disputando os motoristas que param, costurando os veículos enquanto os semáforos estão fechados. Alguns dos motoristas se recusam a atender as pessoas dos canteiros e outros fecham os vidros, observando o comportamento de cada um deles e dos demais condutores.

15 de abril de 2009

Manifesto dos Direitos Quilombolas

Um Manifesto dos Direitos Quilombolas está em curso no Brasil pela CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviço) e os interessados em assinar o Manifesto devem acessar AQUI e seguir as orientações, boa parte em inglês - o que não impossibilita a compreensão.
De acordo com a CESE, no período recente, uma das maiores conquistas na luta por democracia agrária e combate ao racismo foi a regulamentação de procedimentos que agilizaram a demarcação dos territórios quilombolas, concretizando o direito expresso na Constituição Brasileira. Estes procedimentos foram definidos no Decreto 4887/03. No Brasil há cerca de 5.000 Comunidades Quilombolas, sendo que destas, aproximadamente 1.300 estão com processo de regularização fundiária em curso no Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Continue lendo.

14 de abril de 2009

Fogo em óleo - perigoso

Quando estiver no fogão trabalhando com fritura e pegar fogo no óleo, não utilize água para apagá-lo. Caso não saiba o que fazer, evacue a área e chame imediatamente os Bombeiros. Não tente fazer o que não sabe - jogando água -, sob pena de incêndio e risco de morte.
Como apagar fogo em óleo quente? - Assista o vídeo no final do texto.
Vamos ao exemplo prático: Caso esqueça no fogo a panela ou frigideira com óleo e esse pegue fogo, não entre em pânico. Eis algumas dicas importantes:
  1. Desligue o fogo;
  2. Molhe um pano, torça-o, retirando o excesso de água, para que este não pingue sobre o óleo incendiado;
  3. Coloque o pano sobre a panela/frigideira (abafando-o) e espere até que não saia mais vapor do recepiente;
  4. Nunca tente mover a panela ou frigideira, pois poderá aumentar as chamas e causar um incêndio de grandes proporções;
  5. Nunca jogue ou deixe respingar água, pois os respingos carregarão fogo junto e os efeitos são devastadores.
video

A sentença contra Sílvio Barros

Em 12 páginas, o juiz Airton Vargas da Silva, da 2ª Vara Cível, condena o prefeito de Maringá/PR, Silvio Barros II, do PP. A condenação é em primeira instância (leia a sentença no Rigon) e o prefeito deve recorrer. Do jeito que cada sentença tramita lentamente no Brasil, o prefeito deve terminar o mandado e a condenação ainda estará tramitando - se não for arquivada antes -, em prejuizo da população.

AMA promove chá beneficente

A Associação Maringaense dos Autistas (AMA), filiada ao MNDH, promove nesta quinta-feira, dia 16, um chá beneficente com distribuição de dezenas de brindes. Será no Country Club, de Maringá/PR, a partir das 19h30min. Os convites podem ser adquiridos na portaria do clube e cada participante terá direito a um prato de strogonof de carne, arroz e batata palha, equivalente a uma refeição. A renda será destinada à construção da escola da AMA, cujas obras estão paralisadas.
Dentre os brindes a serem sorteados, estão TV, bicicleta, DVD, microondas, confecções, eletrodomésticos e dezenas de outros. Mais informações podem ser obtidas na sede da AMA na Rua Ubirajara, 173 - Jd. Lucianópolis - Fone: 3265-8921.
A AMA é beneficente, sem fins lucrativos e atende a dezenas de portadores da rara síndrome do autismo – um distúrbio mental que acomete cinco pessoas em cada grupo de 10.000 nascimentos. A entidade, que sobrevive de pequenas subvenções e de promoções que realiza, nada cobra de seus alunos, cuja maioria vem de famílias de nível sócio-econômico muito baixo.

Aquecimento de água no microondas

Sempre esquento água pura no microondas, mas nunca superior a um minuto. Assistindo o alerta e vídeo abaixo, tomarei mais cuidado com o processo e aproveiro para alertar a todos que me visitam em ter cuidado ao utilizar o forno de microondas para aquecer água.

Quando se aquece água pura em copo ou outro recepiente por um tempo longo (situação que somente deve ser realizado no fogão) após tirar o copo e colocar outro produto em contato com a água quente, esta pode explodir sobre a pessoa, causando sérios queimaduras, sem quebrar o recepiente, por exemplo, o copo.

De acordo com uma explicação, a água explode porque o forno microondas a aquece a uma temperatura superior a 100'ºC. Quando a água é aquecida numa chaleira, no fogão, o fundo fica com uma temperatura superior a 100'ºC, desencadeando a formação de bolhas de vapor que sobem até á superfície aumentando, a troca de calor e permitindo que a água se mantenha a 100ºC. No forno de microondas a água é aquecida, mas o recipiente não, assim, não se desencadeia a formação de bolhas que permitiriam arrefecer a temperatura da água. Desta forma, a água é aquecida a uma temperatura superior a 100'ºC, ficando à espera que algo desencadeie a formação de bolhas. Quando, por agitação ou adicionando açúcar ou café, se desencadeia a formação de bolhas, isso ocorre com tal intensidade que resulta numa explosão da água a uma temperatura elevadíssima, podendo provocar queimaduras graves.

Recomendação: Nunca se deve aquecer, no microondas, recipientes só com água, sem mais nada. Deve-se colocar alguma coisa dentro do recipiente, para difundir a energia, tal como uma colher de pau, etc. (nunca coisas metálicas!!!). Agora assista o vídeo:

video

13 de abril de 2009

"Casa dos Políticos" candidatos à Presidência da República

Uma idéia corre os e-mails em defesa de um programa que substitua o Big Brother. Seria o programa "CASA DOS POLÍTICOS" que concorrem a Presidência da República.
A idéia seria colocar todos os pré-candidatos à presidência da República trancados em uma casa, debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo. Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e elimina um dos candidatos. No final do programa, o vencedor ganharia o cargo público máximo do país: a Presidência da República.
Além de acabar com o enfadonho e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos e seus comportamentos sociais, políticos e culturais.
Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse de parte do valor dos telefonemas que a casa receberia, eliminando o comportamento de candidatos em corromper empreiteiras ou empresas de lixo sob a alegação de cobrir "fundo de campanha".

12 de abril de 2009

Saiba quem você é

Descubra quem você é clicando AQUI e, em seguida, clicando sobre o quadro na parede. Siga as instruções e descubra sua personalidade.

7 (sete) motivos para ser professor do Estado

Recebo por e-mail – em pleno dia de Páscoa – 7 (sete) motivos para ser professor do Estado. Ao ler os motivos, lembrei-me de ter participado de um concurso do Estado e ao chegar ao local de distribuição das aulas (Colégio Gastão Vidigal, em Maringá), desisti da vaga, por constatar desrespeito total dos representantes do Estado – o Núcleo de Educação – sobre os educadores. Era um professor engolindo o outro com anuência do Núcleo. Um professor pisando sobre o outro para conseguir algumas poucas aulas em colégios distantes um dos outros. Até hoje algumas daquelas imagens cruzam meus pensamentos e me decepcionam.
Apesar de alguns questionamentos sobre os 7 (sete) motivos que recebi, os mesmos descrevem em parte o que passa e sente os docentes no dia-a-dia do ensino fundamental e médio, não só no Estado, como também nas escolas particulares. Leia os motivos e faça sua avaliação e crítica:
7 (sete) motivos – Autoria desconhecida.
1. Estude muito e leia bastante, principalmente a vida de São Francisco de Assis; lembre-se de que você também terá que fazer um voto eterno de pobreza;
2. Prepare-se para manejar certos instrumentos, com o giz e o apagador. Para tal, orientamos o personal stylest de Michael Jackson; você precisará de luva e máscara durante as aulas;
3. Manter-se em forma não será problema para você; com o corre-corre de uma escola para outra, você estará evitando o sedentarismo; com o salário que receberá, não precisará fazer regime; e caso precise complementar a cesta básica do mês, você ainda terá o privilégio de usar o TÍCKET DE 4 REAIS;
4. O educador é o único que pode acumular cargos: além de ministrar aulas em 3 ou 4 colégios diferentes, ainda sobra tempo para ser sacoleiro, levando para as escolas os últimos lançamentos do Paraguai ou sendo importante representante de empresas como a AVON, a HERMES e a SHOPPING MAIS;
5. A formação continuada do professor é algo bastante importante e valorizada pelo governo. Com sorte, você será selecionado para ficar em um grande e luxuoso hotel como o IAT, desfrutar de ótimas instalações e saborear um cardápio variado; tudo isso com uma localização privilegiada e com vista para o ma...to;
6. O local de trabalho deve ser evidenciado: o educador, quase sempre, trabalha em escolas-modelo, cujo slogan é a fartura: 'farta' limpeza, 'farta' funcionário, 'farta' material didático, enfim, 'farta' tudo;
7. Por fim, você desfrutará de um plano de saúde de ótima qualidade, cuja eficiência é demonstrada nos consultórios psiquiátricos repletos de professores que, ao completarem a idade e o tempo de serviço, já se encontram fatigados pelo trabalho, sugados pelo sistema e em pleno desmoronamento físico além do mental.
Assim, depois de ler essas sete dicas, não perca a oportunidade e não desista: vá a um posto do estado e inscreva-se no concurso do ESTADO. O estado quer lhe receber de braços abertos. O nosso lema é: 'PAGUE PARA ENTRAR, REZE PARA SAIR'. Aos que já se encontram desfrutando desse 'néctar' que é ser funcionário da SEED, nossos parabéns, você é persistente e capaz. Possivelmente, não terá recompensa aqui na terra, mas é certo que já tenha adquirido lugar privilegiado no céu.

11 de abril de 2009

Sobre a Bíblia, não

Uma dupla de Testemunhas de Jeová que bate de porta em porta nas manhãs de nossos feriados, sábados e domingos não mereceram minha atenção hoje. Após tocarem a campainha, disserem que estavam ali para falar da Bíblia. Eu disse não querer conversar sobre a mesma. Assustaram-se com minha posição categórica e tentaram me convencer: “mas é sobre a Bíblia, a palavra de Deus”. Novamente disse: “sobre a Bíblia, não quero conversar”. Disseram: “então tá” e saíram para a casa seguinte e, por aproximadamente cinco minutos ficaram convencendo a atendente no portão. Tive dó da vizinha, mas fazer o quê? Após se despedirem, ela olhou para mim como uma fisionomia de arrependimento. Na prática, o esperto fui eu. Em plena véspera de Páscoa não era possível conversar sobre religião, política e futebol, três discussões que não levaria as partes a denominador comum, menos ainda com duplas que não tem conhecimento de Bíblia ou religião o suficiente para sustentar uma discussão teórica ou histórica e, sim algumas frases decoradas para convencer pessoas por onde andam.

Amigo ou colega

Nesta Páscoa, pensar sobre o que é ser ou ter amigo ou colega, pode fazer a diferença. Desta forma, seguem três regras básicas de Max Gehringer, enviada por Natália da Costa.
Regra número 1.
Colegas passam, mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar. Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe. Exemplo: se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1997 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembra disso em 2007.
Regra número 2.
A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a importância de uma desfeita aumenta. Favor é como um investimento de curto prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Um dia, ele será cobrado, e com juros.
Regra número 3.
Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo. Mas isso só dura até um dos dois mudar de emprego. Amigo é aquela pessoa que liga ou envia um E-Mail para perguntar se você está precisando de alguma coisa. Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que, no momento, não pode atender. Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos e apenas meia dúzia de inimigos. Estatisticamente, isso parece ótimo. Mas, não é. A "Lei da Perversidade Profissional" diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é provável que quem mais lhe poderá ajudar será exatamente um daqueles poucos inimigos.

9 de abril de 2009

Chocolatada

Diferente de outros anos, observei ao passar esta tarde por três super e hipermercados que o povo não está gastando nas compras dos ovos de chocolate. Vê-se ovo para todo lado e não muita pessoas olhando e menos ainda escolhendo. Será que os supermercados terão que fazer grandes ofertas no sábado? Caso se confirme o andar da carroagem, quem "ganhará" é o povo, pois os ovos estão com preços que não combinam com a crise. Estão além do normal. Os empresários poderão receber chocolatadas em 2009.

Diarim, cadê as notícias

Desde o dia 20 de março o blog Diarim não posta matérias. Como a equipe é de 10 pessoas -razoavelmente grande e com nomes conhecidos e respeitados - estou preocupado com a ausência de notícias. O que está acontecendo?

Qualidade dos combustíveis

Navegando pelo site da Universidade Estadual de Maringá (UEM), entre outros links, deparei-me com uma página que analisa combustíveis e certifica a qualidade dos mesmos. O Laboratório de Análise de Combustíveis merece nota 10 por oferecer aos consumidores a garantia de confiabilidade nos postos. O que achei pouco, foi a quantidade de postos de combustíveis credenciados (seis postos), a não ser que a relação esteja desatualizada. Caso sejam apenas seis postos, são poucos para uma cidade como Maringá, onde se constata um Posto de frente para o outro disputando consumidores.

8 de abril de 2009

Farra na Câmara de Maringá

Como é arrepiante ouvir entrevista do presidente da Câmara Municipal, Mário Hossokawa, confirmando pressões dos colegas da casa para manter em berço esplêndido um grande número de pessoas, muitos sem serem de confiança, simplesmente por questões políticas. A entrevista é de arrepiar. São duas partes e dá uma dimensão social e política em como está a política e como se comportam os vereadores. Na prática fazem dos eleitores verdadeiros fantoches. Assista direto na CBN.

Fotografia real do mundo

Texto atribuído a MUNIZ NETO, diretor de criação e sócio da BULLET, uma das maiores agências de propaganda do Brasil, sobre a crise mundial.
Vou fazer um slideshow para você.
Está preparado?
É comum, você já viu essas imagens antes.
Quem sabe até já se acostumou com elas.
Começa com aquelas crianças famintas da África.
Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.
Aquelas com moscas nos olhos.
Os slides se sucedem.
Êxodos de populações inteiras.
Gente faminta.
Gente pobre.
Gente sem futuro.
Durante décadas, vimos essas imagens.
No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.
Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.
São imagens de miséria que comovem.
São imagens que criam plataformas de governo.
Elegem deputados, senadores e presidentes.
Criam ONGs.
Criam entidades.
Criam movimentos sociais.
Deixa muita gente rica.
A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza.
Ano após ano, discutiu-se o que fazer.
Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.
Dizem que 40 bilhões de dóares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo.
Resolver, capicce?
Extinguir.
Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta.
Não sei como calcularam este número.
Mas digamos que esteja subestimado. Digamos que seja o dobro.
Ou o triplo.
Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.
Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.
Não houve documentário, ONG, lobby ou pressão que resolvesse.
Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bilhões nos EUA, 1.5 trilhão na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga muito cheia: Os bancos e investidores.

Como uma pessoa comentou, é uma pena que esse texto só esteja em blogs e não na mídia de massa, essa mesma que sabe muito bem dar tapa e afagar...
Se quiser, repasse, se não, o que importa?
"O nosso almoço tá garantido mesmo..."

6 de abril de 2009

Jornalista denuncia Folha de São Paulo por má-fé e armação contra a ministra Dilma

Antonio Roberto Espinosa, jornalista, professor de Política Internacional, doutorando em Ciência Política pela USP, autor de Abraços que Sufocam – E Outros Ensaios sobre a Liberdade e editor da Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe, escreve carta à Folha exigindo publicação na íntegra, no jornal do dia 6, desmentindo matéria publicada no domingo, dia 5, intitulada “Grupo de Dilma planejou sequestro de Delfim Neto”, de acordo com Espinosa, desvirtuada pela jornalista da Folha e de forma sensacionalista.

Prezados senhores,
Chocado com a matéria publicada na edição de hoje (domingo, 5), páginas A8 a A10 deste jornal, a partir da chamada de capa “Grupo de Dilma planejou sequestro de Delfim Neto”, e da repercussão da mesma nos blogs de vários de seus articulistas e no jornal Agora, do mesmo grupo, solicito a publicação desta carta na íntegra, sem edições ou cortes, na edição de amanhã, segunda-feira, 6 de abril, no “Painel do Leitor” (ou em espaço equivalente e com chamada de capa), para o restabelecimento da verdade, e sem prejuízo de outras medidas que vier a tomar. Esclareço preliminarmente que:
1) Não conheço pessoalmente a repórter Fernanda Odilla, pois fui entrevistado por ela somente por telefone. A propósito, estranho que um jornal do porte da Folha publique matérias dessa relevância com base somente em “investigações” telefônicas;
2) Nossa primeira conversa durou cerca de três horas e espero que tenha sido gravada. Desafio o jornal a publicar a entrevista na íntegra, para que o leitor a compare com o conteúdo da matéria editada. Esclareço que concedi a entrevista porque defendo a transparência e a clareza histórica, inclusive com a abertura dos arquivos da ditadura.. Já concedi dezenas de entrevistas semelhantes a historiadores, jornalistas, estudantes e simples curiosos, e estou sempre disponível a todos os interessados;
3) Quem informou à Folha que o Superior Tribunal Militar (STM) guarda um precioso arquivo dos tempos da ditadura fui eu. A repórter, porém, não conseguiu acessar o arquivo, recorrendo novamente a mim, para que lhe fornecesse autorização pessoal por escrito, para investigar fatos relativos à minha participação na luta armada, não da ministra Dilma Rousseff. Posteriormente, por e-mail, fui novamente procurado pela repórter, que me enviou o croquis do trajeto para o sítio Gramadão, em Jundiaí, supostamente apreendido no aparelho em que eu residia, no bairro do Lins de Vasconcelos, Rio de Janeiro. Ela indagou se eu reconhecia o desenho como parte do levantamento para o sequestro do então ministro da Fazenda Delfim Neto. Na oportunidade disse-lhe que era a primeira vez que via o croquis e, como jornalista que também sou, lhe sugeri que mostrasse o desenho ao próprio Delfim (co-signatário do Ato Institucional número 5, principal quadro civil do governo ditatorial e cúmplice das ilegalidades, assassinatos e torturas).
Afirmo publicamente que os editores da Folha transformaram um não-fato de 40 anos atrás (o sequestro que não houve de Delfim) num factóide do presente (iniciando uma forma sórdida de anticampanha contra a ministra). A direção do jornal (ou a sua repórter, pouco importa) tomou como provas conclusivas somente o suposto croquis e a distorção grosseria de uma longa entrevista que concedi sobre a história da VAR-Palmares. Ou seja, praticou o pior tipo de jornalismo sensacionalista, algo que envergonha a profissão que também exerço há mais de 35 anos, entre os quais por dois meses na Última Hora, sob a direção de Samuel Wayner (demitido que fui pela intolerância do falecido Octavio Frias a pessoas com um passado político de lutas democráticas). A respeito da natureza tendenciosa da edição da referida matéria faço questão de esclarecer:
1) A VAR-Palmares não era o “grupo da Dilma”, mas uma organização política de resistência à infame ditadura que se alastrava sobre nosso país, que só era branda para os que se beneficiavam dela. Em virtude de sua defesa da democracia, da igualdade social e do socialismo, teve dezenas de seus militantes covardemente assassinados nos porões do regime, como Chael Charles Shreier, Yara Iavelberg, Carlos Roberto Zanirato, João Domingues da Silva, Fernando Ruivo e Carlos Alberto Soares de Freitas. O mais importante, hoje, não é saber se a estratégia e as táticas da organização estavam corretas ou não, mas que ela integrava a ampla resistência contra um regime ilegítimo, instaurado pela força bruta de um golpe militar;
2) Dilma Rousseff era militante da VAR-Palmares, sim, como é de conhecimento público, mas sempre teve uma militância somente política, ou seja, jamais participou de ações ou do planejamento de ações militares. O responsável nacional pelo setor militar da organização naquele período era eu, Antonio Roberto Espinosa. E assumo a responsabilidade moral e política por nossas iniciativas, denunciando como sórdidas as insinuações contra Dilma;
3) Dilma sequer teria como conhecer a ideia da ação, a menos que fosse informada por mim, o que, se ocorreu, foi para o conjunto do Comando Nacional e em termos rápidos e vagos. Isto porque a VAR-Palmares era uma organização clandestina e se preocupava com a segurança de seus quadros e planos, sem contar que “informação política” é algo completamente distinto de “informação factual”. Jamais eu diria a qualquer pessoa, mesmo do comando nacional, algo tão ingênuo, inútil e contraproducente como “vamos sequestrar o Delfim, você concorda?”. O que disse à repórter é que informei politicamente ao nacional, que ficava no Rio de Janeiro, que o Regional de São Paulo estava fazendo um levantamento de um quadro importante do governo, talvez para sequestro e resgate de companheiros então em precárias condições de saúde e em risco de morte pelas torturados sofridas. A esse propósito, convém lembrar que o próprio companheiro Carlos Marighela, comandante nacional da ALN, não ficou sabendo do sequestro do embaixador americano Charles Burke Elbrick. Por que, então, a Dilma deveria ser informada da ação contra o Delfim? É perfeitamente compreensível que ela não tivesse essa informação e totalmente crível que o próprio Carlos Araújo, seu então companheiro, diga hoje não se lembrar de nada;
4) A Folha, que errou a grafia de meu nome e uma de minhas ocupações atuais (não sou “doutorando em Relações Internacionais”, mas em Ciência Política), também informou na capa que havia um plano detalhado e que “a ação chegou a ter data e local definidos”. Se foi assim, qual era o local definido, o dia e a hora? Desafio que os editores mostrem a gravação em que eu teria informado isso à repórter;
5) Uma coisa elementar para quem viveu a época: qualquer plano de ação envolvia aspectos técnicos (ou seja, mais de caráter militar) e políticos. O levantamento (que é efetivamente o que estava sendo feito, não nego) seria apenas o começo do começo. Essa parte poderia ficar pronta em mais duas ou três semanas. Reiterando: o Comando Regional de São Paulo ainda não sabia com certeza sequer a frequência e regularidade das visitas de Delfim a seu amigo no sítio. Depois disso seria preciso fazer o plano militar, ou seja, como a ação poderia ocorrer tecnicamente: planejamento logístico, armas, locais de esconderijo etc. Somente após o plano militar seria elaborado o plano político, a parte mais complicada e delicada de uma operação dessa natureza, que envolveria a estratégia de negociações, a definição das exigências para troca, a lista de companheiros a serem libertados, o manifesto ou declaração pública à nação etc. Ocomando nacional só participaria do planejamento , portanto, mais tarde, na sua fase política. Até pode ser que, no momento oportuno, viesse a delegar essa função a seus quadros mais experientes, possivelmente eu, o Carlos Araújo ou o Carlos Alberto, dificilmente a Dilma ou Mariano José da Silva, o Loiola, que haviam acabado de ser eleitos para a direção; no caso dela, sequer tinha vivência militar;
6) Chocou-me, portanto, a seleção arbitrária e edição de má-fé da entrevista, pois, em alguns dias e sem recursos sequer para uma entrevista pessoal – apelando para telefonemas e e-mails, e dependendo das orientações de um jornalista mais experiente, no caso o próprio entrevistado –, a repórter chegou a conclusões mais peremptórias do que a própria polícia da ditadura, amparada em torturas e num absurdo poder discricionário. Prova disso é que nenhum de nós foi incriminado por isso na época pelos oficiais militares e delegados dos famigerados Doi-Codi e Deops e eu não fui denunciado por qualquer um dos três promotores militares das auditorias onde respondi a processos, a Primeira e a Segunda auditorias de Guerra, de São Paulo, e a Segunda Auditoria da Marinha, do Rio de Janeiro.
Osasco, 5 de abril de 2009

Ministro do Supremo, Gilmar Mendes, fala demais, diz MNDH

O Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) quer um Supremo mais justo e menos polêmico. De acordo com o MNDH, o "presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Gilmar Mendes, continua falando bastante, seja como cidadão, seja como presidente da mais alta corte de justiça do país".
"Uma de suas falas, no início do ano, ajudou a jogar mais lenha na fogueira da criminalização dos movimentos sociais. Atualmente o presidente do STF está discutindo publicamente a questão do fim das prisões especiais; opina sobre a Lei de Imprensa – que o STF ainda está julgando -; emite opiniões e pareceres contraditórios sobre a Reserva Indígena Raposa Terra do Sol; critica as atuações recentes da Polícia Federal, investe contra o Ministério Público, entre outros assuntos". Leia a íntegra da posição do MNDH em Brasília, interessante.

10 regras da grande imprensa

Alerta Osvaldo da Costa que a grande imprensa tem regras claras contra os movimentos sociais, em especial contra o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e manipula as informações e o público para ser e ficar contra os movimentos sociais em geral. Observando o comportamento da grande imprensa no Brasil, percebe-se claramente que agem em defesa do latifúndio, dos empresários e contra os pobres. Acompanhemos a análise sobre as 10 regras:
  1. Toda ocupação de terra deve ser chamada de invasão;
  2. Fale só do maior movimento – o MST – para atingir a todos;
  3. Tratar a Reforma Agrária como questão de polícia;
  4. Nunca divulgue os artigos progressistas da Constituição Federal, pois pode estar contribuindo com os movimentos sociais;
  5. Levante a bola para o oportunista de plantão, ou seja, crie fatos e fofocas para prejudicar os movimentos sociais;
  6. Nem sempre apurar os dois lados da notícia e, sempre que o fizer, fazer desfavorecendo os movimentos sociais;
  7. Não existir noção de historicidade, causa e conseqüência nas reportagens, pois pode favorecer os movimentos sociais;
  8. Retire o foco dos movimentos e centralize nas conseqüências sobre os proprietários ou empregados das propriedades, tornando os proprietários uns coitados;
  9. Manter campanhas permanentes de desmoralização dos movimentos sociais;
  10. Manipular as informações para atingir a dimensão subjetiva do telespectador ou leitor, confundindo-o e jogando-o contra os movimentos, mesmo ele sendo parte do movimento, ou seja, jogar o movimento contra o movimento. Dividir para governar.

Leia a íntegra das Dez regras da grande imprensa ao abordar os movimentos sociais.

Uma conversa com Hobsbawm

Em Carta Maior por Martin Granovsky - Página12
Em entrevista publicada no jornal Página 12, o historiador britânico Eric Hobsbawm fala da crise atual e de suas possíveis implicações políticas. Para ele, o mundo está entrando em um período de depressão e os grandes riscos, diante da fragilidade da esquerda mundial, são o crescimento da xenofobia e da extrema-direita. Hobsbawm destaca o que está acontecendo na América Latina e elogia o presidente brasileiro. "É o verdadeiro introdutor da democracia no Brasil. No Brasil há muitos pobres e ninguém jamais fez tantas coisas concretas por eles".
PS.: A entrevista é longa, mas vale a leitura. O jornalista descreveu os fatos, os antes e os durantes o encontro com Eric Hobsbawm. Durante a leitura, o internauta deparar-se-á com a admiração e os receios do encontro entre um jornalista com um historiador que caminha para os 92 anos de idade, em junho de 2009 e, que está lúcido, firme e forte. Boa leitura.

Gírias

Abasteci o Dicionário de Gírias Populares no final da semana passada e observei que o espaço vem sendo consideravelmente visitado, ultrapassando a casa de 2.300 visitas/mês. Tenho recebido e-mails de várias partes do Brasil elogiando o Dicionário. De acordo com os visitantes, o dicionário tem contribuindo com informações não encontradas noutros espaços, incentivando-me a buscar mais gírias e registrar, sem abandonar o objetivo que é a interação com os internautas. Assim, quem tiver gírias que nos envie, tornando-se um colaborador do dicionário.

Classificados

Recebi uma sugestão do meu odonto (Edson Marassi) de que abrisse um espaço de classificados em meu blog. Fiquei lisonjeado ao saber de que ele e seu pai – que é jornalista – visitam o blog e avaliaram ser um espaço interessante de classificados, considerando a quantidade de visitas/mês que o blog recebe (mais de 3.300 visitas). Vou pensar seriamente na idéia, apesar de que o blog é um passa tempo e não uma atividade prioritária. Em termos profissionais, primeiro a minha função de docente. Em termos de lazer, não saberia classificar a posição do blog. Confesso que sempre que posso e tenho matéria, enquanto não publico no blog, não me acalmo. Um blog é bom e, mesmo à distância, socializa o blogueiro com os visitantes, mas vicia e procuro tomar cuidado com o mesmo, controlando-me, sobretudo por administrar vários blogs.

Feirão

Estive ontem no “feirão de automóveis” no novo centro de Maringá e observei que o feirão não é só de automóveis. Encontra-se no local: veneno mata formiga e mata baratas, bonés, camisetas, carteiras, churrasqueiras, churrasquinhos, cervejas, água, motos, carros, pincéis, canetas, homens feios e mulheres bonitas. O feirão se tornou um espaço para passear, apreciar quase de tudo e passar o tempo enquanto a hora do almoço não chega.

3 de abril de 2009

Viaduto arcaico

Ouvi hoje a expressão de que o viaduto da Avenida Colombo com Avenida Tuiuti está “arcaico”. Sempre tive questionamentos sobre aquele viaduto, visto ausentar os condutores que diregem no sentido bairro-centro, de alternativas para adentrar a Colombo em direção a Sarandi, tendo que fazer uma volta pela frente da Recco, Zacarias e BIG. É necessário investimentos para melhorar a rotatória. Diante da expressão de que o “viaduto está arcaico”, comecei a pensar de que a frase tem sentido.

2 de abril de 2009

Zona Azul, Verde, Estar e assemelhados

Recebi por e-mail a seguinte informação que vale divulgar:
"Quem paga Zona Azul tem direito à segurança do carro 'Optando o Poder Público pela cobrança de remuneração de estacionamentos em vias públicas de uso comum do povo, tem o dever de vigiá-los, com responsabilidade pelos danos ali ocorridos'. Assim, a empresa que administra a Zona Azul de São Carlos, foi condenada a pagar indenização no valor de R$18,5 mil ao motorista Irineu Camargo de Souza de Itirapina/SP, que teve o carro furtado quando ocupava uma das vagas do sistema de Zona Azul da cidade de São Carlos, serviço explorado pela empresa. A decisão é da 1ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmando sentença da comarca de Itirapina. Agora já existe jurisprudência firmada! Para se exercer a plena cidadania, é imprescindível a informação. Fique ciente!!!!
INDEPENDENTEMENTE DO SEGURO PARTICULAR, AGORA PODEREMOS EXECUTAR AS PREFEITURAS!!!!
Esta mensagem vale a pena circular, mas tem gente que não tem interesse em tornar isso público. Esta informação é muito válida para nós pois somos contribuintes".

1 de abril de 2009

Vá pra Puta que Pariu

Sabia que este lugar existe? Pois é. Eu não sabia da cidade de Bela Vista de Minas, em Minas Gerais, até que recebesse um e-mail do amigo Manoel, de Marília/SP, encontrado de matéria encontrada no blog Caixa de Pandora. Vejam que interessante.
Quando alguém lhe mandar pra Puta que Pariu, pode ir que o lugar existe e dizem que é bonito. Ir de ônibus é mais bonito por apreciar a natureza.a cidade de Puta que Pariu "fica na cidade de Bela Vista de Minas, perto de João Monlevade, em Minas Gerais. O município de Bela Vista de Minas foi criado pela Lei nº 2764, de 30 de dezembro de 1962, desmembrado do município de Nova Era. Às margens do Córrego do Onça, foi declarada a Independência de Bela Vista de Minas. A cidade é divida em 7 bairros: Bela Vista de Cima, Lages, Serrinha, Córrego Fundo, Favela, Boca das Cobras e … (acredita?) Puta que Pariu".
De Bela Vista de Minas, para se chegar em Puta que Pariu, é só embarcar no ônibus nº 307. A partir de então, quando for mandar alguém a "puta que pariu", inverta e mande a 307. Pesquise sobre Puta que Pariu: clique aqui e vá pra Puta que Pariu